sábado, 24 de dezembro de 2011

Madame Conversa com o Burro Falante

Madame Conversa com Burro Falante

Madame conversa com o burro falante, enquanto o marido dela, Sr. Stone, providencia a retirada (dela e do burro) do emaranhado de cipós em que estão presos




Este post é continuação da história do post Os Frutos Estranhos dos Brandburgos.

Os Brandburgos são uma família que mora mo topo de um morro, numa localidade isolada do Planeta Guimon. Eles plantam frutos de tamanho gigantesco, que negociam para a sobrevivência deles.

Eles têm um burro muito teimoso, que fala e provoca desordem no sítio, quando fica maluco.

Vamos então à história deste post:

------------------>>>>>

Quando o Sr. Stone saiu da casa no alto do morro e deparou com aquela cena inusitada e ridícula, disse:

- Afinal, o que foi que aconteceu aqui?

A mulher respondeu:

- O seu burro falante ficou louco de uma vez. Desterrou algumas raízes e as rolou morro abaixo. Quando dei bronca nele, deu-me uma patada e vim parar aqui.

- Está se vendo o que aconteceu?

- Me tire daqui, Stone. Estou pendurada há muito tempo e não consigo mexer o corpo.

- Darei um jeito em vocês dois, já, já. Aguardem – disse o Sr. Stone, e saiu dali.

A mulher aproveitou a oportunidade para ralhar com o burro:

- Você vê o que fez, seu burro desvairado? Quase me manda parar lá no asfalto. E que o pior de tudo é que a você também.

- Eu não sabia o que estava fazendo. Eu não sabia – disse o burro. – Se madame me entende, me perdoa. Madame compreende seu burro simpático e querido. Ele agiu com insanidade mental, mas merece receber o perdão de madame. Madame me perdoa?

- Ora, seu burro! Claro que te perdoo, meu queridinho de mamãe. Sei que você agiu por temperamento de raiva momentânea. Só que devemos criar umas regras para que você não repita esse ato tão... Ordinário.

- Que regras, madame? Não está pensando em me castigar, está?

- Ainda não. Ou seja, ainda não sei. Mas você bem que merece. Além do mais, neste momento estamos nós dois castigados, só de estarmos pendurados aqui, feitos presuntos no defumador.

- Madame às vezes fala de jeito tão engraçado que faz burro falante rir. – Ao dizer tais palavras, o burro riu escancaradamente. Depois ficou sério e perguntou para madame:

- De que jeito o Sr. Stone vai tirar a gente daqui.

Madame respondeu:

- Eu, não sei. Mas você, gostaria que cortasse as cordas que o seguram. Assim você ia despencar e se esborrachar lá embaixo.

- Oh, madame! Por que tanta maldade? É desse jeito que madame diz que quer me perdoar?

Madame riu.

- Você tem razão, meu burrinho idiota. Pensei mal de você, de repente. Mas acho que foi só brincadeira. Uma maneira de rir com o fito de esquecer que estou pendurada aqui.

- Está bem, madame. Vou considerar.

Esta história maluca continua nos próximos capítulos do blog Mokolóton, o extraterrestre.

Aguarde.

nrelate

Recomende no Google+