sábado, 13 de agosto de 2011

A Melancia Gigante no Asfalto

Esta é a parte da história em que uma melancia gigante se despedaça no asfalto



Como toda história prossegue, conforme a imaginação do autor, esta é a continuação da história iniciada no post O Burro Falante e Maluco dos Brandburgos.

Por incrível que pareça, logo ao amanhecer num dia em que ninguém esperava, o burro começou a gritar lá no alto do morro e a cavar a terra como se estivesse louco. Ele era muito forte e cavava com tanta força e agilidade, que conseguia em pouco tempo espalhar terra na direção da rodovia, que passava lá embaixo, logo após um extenso e complicado emaranhado de cipó que escondia a propriedade, antes de um muro de parede bem sólida. Depois desse muro ainda havia uma cerca de arame farpado.

Assim, dada a loucura do burro falante, desceu uma melancia de tamanho mais ou menos idêntico a um tambor, desses que os postos colocam gasolina ou óleo diesel, e ganhou velocidade até transpor o muro e a cerca para depois atingir a rodovia e se esborrachar nela, derramando uma onda vermelha do líquido vermelho adocicado saído da melancia gigante, que dentro de pouco tempo mancharia o negro asfalto tingindo-o temporariamente de vermelho.

Não bastando a derrubada da melancia, o burro maluco continuava a cavar num lugar e noutro, como se estivesse enfurecido, e logo em seguida surgiu a seus pés uma raiz de mandioca de tamanho maior que o da melancia, por ser mais comprida, que a uma patada certeira do burro desceu o morro. Essa também pulou o muro e a cerca; atravessou a rodovia e continuou seu percurso morro abaixo.

Nesse momento passava um único carro na rodovia, em velocidade acelerada. O motorista desviou da raiz de mandioca em segundos e quase derrapou, mas parou logo adiante parou para ver o que acontecia. Mas ficou assustado e imediatamente decidiu prosseguir viagem.

Era um carro de passeio, portanto, leve demais. Teria sido esmagado se a raiz de mandioca caísse sobre ele.

Se você leu essa história maluca até aqui e quer saber como continua, retorne ao blog Mokolóton o extraterrestre que sua continuação estará aqui, se Deus quiser.

nrelate

Recomende no Google+